sábado, 23 de junho de 2007

Um horizonte

«Loïc Touzé (coreógrafo) e Jocelyn Cottencin (dispositivo cénico) fazem da dança um horizonte para onde o nosso olhar se prolonga, se agita ou se sustém. Nove bailarinas configuram este espaço, desenhando-lhe linhas direitas e curvas, formas ramificadas e firmes ou construindo equilíbrios periclitantes, insuflando-o de energias impulsivas, percutidas ou contínuas; cada uma delas ocupando o seu espaço próprio, sem hierarquias. Nesta concepção da dança circulam os saberes e as práticas cunninghamianas, mas enquanto as paisagens que o coreógrafo norte-americano Merce Cunningham constrói nos seus espectáculos são imensas, sem fim, as paisagens de Touzé são finitas e encerram os corpos numa moldura bem definida que o dispositivo cénico ajuda a construir. É esta delimitação que provoca a tensão dramatúrgica, a consciência de que aquilo que somos capazes de ver depende dos limites definidos pelas nossas posições. Por detrás da luz intensa e ambiente idílico, 9 esconde um inquietante constrangimento.»

Maria José Fazenda

Última apresentação de 9, hoje, no Grande Auditório, às 21h30.

1 comentário:

maria c.campina disse...

"9"foi para mim um dos espectáculos mais perturbantes deste ciclo "O Estado do Mundo". O seu ethos, que se torna em nós sensível é o advém de uma quase catástrofe (presença permente e subliminar de Walter Benjamin no que emerge neste curso actual do mundo). E o quase é determinante: desequilíbrio, instabilidade, paragem "à beira do fim", do mundo e da queda dos corpos que para acontecer; o quase que no limite regride, isto é, suspende-se para logo se repetir. Diferir incessante, princípio da não-identidade. E todo o movimento distinta e singularmente pulverizado em cada um dos nove corpos explode, ou implode por sobrecarga de tensão, de "electricidade" dentro de uma enorme caixa branca, que os contém. Coreografia sem centro, como as cidades contemporâneas, sendo cada corpo o seu próprio centro ensimesmado, que se dispara, sendo cada corpo um pólo sem pólo em minucioso, ágil e angustiante movimento.
Um dos momentos inesquecíveis, tal como Ensaio ou Desert Dreams.